Buscar
  • SBCC

SEMINÁRIO DISCUTE COMPORTAMENTO ASSÉPTICO


No último dia 23 de Novembro a Sociedade Brasileira de Controle de Contaminação (SBCC) promoveu o Seminário Comportamento Asséptico. O evento faz parte da grade de programação da entidade e tem por objetivo contribuir para a troca de informações sobre os temas de interesse do setor.

Para Sandra Moreno, da Engefarma, que falou sobre Comportamento Asséptico: Conceitos, melhores Práticas, todo operador deve estar consciente sobre os conceitos de áreas limpas. “É uma área construída para evitar a disseminação de partículas viáveis e não viáveis e através disso impedir a geração e proliferação de microorganismos.”

O tema Vestimentas e Acessórios foi abordado por Matheus Barbosa, da Dupont. Ele explica que todos os estudos mais recentes mostram que as pessoas são a maior fonte de contaminação em ambientes controlados, tanto falando de partículas quanto de contaminação biológica. “Quando a gente fala de vestimentas nada mais é do que a última barreira de proteção entre a maior fonte de contaminação e um ambiente controlado. É ter o controle inteiro do processo, sejam elas reutilizáveis ou descartáveis. Ter o conhecimento do desprendimento de partículas e da eficiência de barreira.”

A diretora Técnica da SBCC e representante da Improve-Consultoria em Rotinas Farmacêuticas, Almerinda M. Wanderley, abordou dois temas, as Técnicas Assépticas em Áreas Classificadas A e B, C e D, e a Certificação de Operadores e Monitoramento de Vestimentas na Rotina – Passagens de Materiais para o Core Asséptico. “No geral abordei como tratar a atividade em áreas limpas. É preciso pensar que não é só o momento existe um pouco mais. A atividade crítica é toda a operação que pode afetar a qualidade do medicamento.”

Douglas Darmani, da PratiDonaduzzi falou sobre o Comportamento Asséptico durante manutenções em Áreas Assépticas – Melhores Práticas. Segundo ele o mais importante a ser ressaltado nesta relação é a imprevisibilidade da necessidade de manutenção, ou seja, quando há situações em que a manutenção é corretiva e acontece em meio a um lote de produção, em algum momento que vai demandar uma intervenção sem quebrar a classificação da área.

Encerrando o Seminário, o representante da AxiosResearch, Sérgio Bento,explicou que os acessórios colaboram para a prevenção de partículas dentro de uma sala limpa. “É muito importante o usuário saber escolher o acessório ideal para que não prejudique todo o evento que ele tem dentro da área.”

Você pode ver essas entrevistas acompanhando o facebook da SBCC.

47 visualizações
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social